Um fim-de-semana terrível para os Animais

Um fim-de-semana prolongado, que se esperava ser de paz e tranquilidade, foi um fim-de-semana terrível para os Animais.


Começou na sexta-feira, com um cachalote de 15 metros arrojado na praia da Fonte da Telha. Independentemente de se encontrar doente e ser ou não possível a sua recuperação e devolução ao mar, foi notória a descoordenação das entidades envolvidas, a falta de acompanhamento do animal e o permitir que simplesmente a natureza corresse o seu rumo, deixando o animal de 15 toneladas encalhar e morrer na areia, mais de 12 horas depois de ter sido reportada a sua presença, e sem qualquer assistência.

Compreendemos a dificuldade de tratamento e manipulação de um animal de 15 metros e aproximadamente 15 toneladas, mas com o conhecimento que se tem hoje da anatomia e sensibilidade destes animais, como é que a sua pele não foi protegida do sol forte que se fez sentir, como é que não foi mantida húmida, como é que as pessoas presentes foram proibidas de ajudar perante a inacção das autoridades no local?


Ainda na madrugada de sexta-feira, em Olhão, foi encontrado um javali a deambular junto ao mercado municipal. Chegou ao local, provindo da zona das salinas e terá investido contra agentes da autoridade, quando o tentavam fazer regressar ao seu meio natural. Foi abatido com três tiros.


Durante a tarde de Sábado, um incêndio deflagrou num aviário na zona de Leiria. Os órgãos de comunicação social apressaram-se a informar que não havia vítimas deste incêndio, ignorando as mais de 4000 (quatro mil) aves que se encontravam no seu interior.


Esteve também a decorrer uma angariação de fundos para uma associação de protecção animal, com uma venda de rifas cujo prémio era um leitão assado. A associação visada veio mais tarde rejeitar os fundos, não porque não precise de ajuda, mas porque em 2022 não há mais palavras para explicar que não há nada de ético e empático em ajudar uns animais com o sofrimento e morte de outros.


Que estes casos sirvam de exemplo para o que não se deseja e não pode acontecer no futuro. Que seja possível mudar algo! Procedimentos, formas de acção, coordenação de autoridades e voluntários, muitos com formação específica, que possam apoiar com conhecimento de causa.

Que sejamos mais solidários e empáticos #PorTodosOsAnimais!


Fotógrafo: https://www.instagram.com/le_rami/